Quem mora com vista para o mar é menos estressado, aponta estudo

 

409192_670x422.77

O sonho de morar em um lugar com vista para o mar ganhou mais um bom argumento: cientistas comprovaram que residentes de lugares com vista para água são menos estressados. Um estudo feito na Universidade do Estado de Michigan (MSU), nos Estados Unidos, foi o primeiro a encontrar ligação entre saúde e visibilidade da água. Eles chamaram esse grupo de “espaço azul”.

– O espaço azul está significativamente associado a níveis mais baixos de estresse psicológico – explicou Âmbar Pearson, coautor da pesquisa, professor de Geografia da Saúde e membro da Rede de Ciência da Água da MSU.

O estudo também levou em conta fatores como riqueza, idade, sexo e local em que as pessoas pesquisadas moravam. A conclusão foi que o único quesito que pode ser associado a melhoria da saúde mental foi o endereço dos sujeitos.

Publicidade

Os pesquisadores também avaliaram as emoções e a saúde de quem vive em locais mais próximos à natureza, com muitas árvores, mas sem vista para água. Esse grupo foi chamado de “espaço verde”. No entanto, Person afirmou que esse espaço não teve o mesmo efeito calmante que o “azul”.

– Pode ser porque, em geral, locais com vista para água são mais naturais e, mesmo com muitas árvores, os espaços verdes incluem áreas criadas pelo homem, como parques infantis e campos desportivos. Talvez, se observássemos pessoas que vivem em regiões de florestas nativas, encontraríamos um resultado diferente – disse Person.

O estudo foi publicado na edição de maio da revista científica Health & Place.

Exposição do arquiteto catalão Antoni Gaudí no Masc

99040216

Onde: Museu de Arte de Santa Catarina (Masc)

Endereço: Av. Governador Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica
Quanto: Gratuito

Após o sucesso da maior exposição no Brasil de Joan Miró (1893 – 1983), “A Força da Matéria”, no ano passado, a Arteris e o Instituto Tomie Ohtake trazem a Florianópolis a mostra do arquiteto Antoni Gaudí (1852 – 1926), um dos símbolos do modernismo catalão e conhecido por diversos edifícios históricos de Barcelona e outras cidades espanholas. A exposição irá trazer desenhos, maquetes originais, esculturas e até móveis concebidos pelo arquiteto.

A data da exposição ainda não está definida, mas já foi confirmada para segundo semestre de 2016 no Museu de Arte de Santa Catarina (Masc), no Centro Integrado de Cultura (CIC). Em 2015, o espaço recebeu a exposição de Miró, maior já realizada no museu. Cerca de 70 mil pessoas visitaram a mostra do artista espanhol.

Conhecido por inspirar-se nas formas e movimentos da natureza, Gaudí quebrou paradigmas ao criar um novo tipo de arquitetura, definida como naturalista e fundamentada na utilização dos materiais até o limite da resistência. Ele buscava a funcionalidade nas obras, mas encontrava a beleza.

O catalão tinha um método de trabalho incomum para a época: modelos tridimensionais em escala moldados pela gravidade e a técnica catalã tradicional do trencadis, que consiste de usar peças cerâmicas quebradas para compor superfícies.

Dentre as obras mais famosas está o templo cristão A Sagrada Família, em Barcelona. Ele assumiu a obra em 1883, aos 31 anos de idade, e dedicou-se a ela até o final da vida. A igreja é considerada uma obra prima da arquitetura. Tem cinco naves, com cruzeiro de três que foram uma cruz latina. Ainda está em construção e quando estiver concluída terá 18 torres.

Antoni Plàcid Guillem Gaudí Cornet nasceu na província de Tarragona, na Catalunha. Ainda criança teve problemas reumáticos que o acompanharam durante toda a vida. O pai precisou vender imóveis da família para pagar os estudos do futuro arquiteto e Gaudí trabalhou com alguns mestres de obras em Barcelona quando era estudante. Chegou ao auge da fama aos 58 anos. O espanhol morreu atropelado, aos 74 anos.

Pesca da tainha chega a 5,6 toneladas nas primeiras horas de safra em SC

tainha2

Expectativa da Federação Catarinense de Pescadores é chegar a 1,8 mil t.

Só em Criciúma, no Sul do estado, pesca chegou a 1 tonelada no domingo.

A safra da tainha teve início no domingo (1º) no litoral de Santa Catarina. Com pouco mais de 24 horas de trabalho, a Federação Catarinense de Pescadores divulgou que 5,6 toneladas do peixe foram capturados no estado. A expectativa da entidade é chegar as 1,8 mil toneladas

Em 2015, Santa Catarina, atingiu ao fim da safra 1,4 mil toneladas de tainha pescada e a expectativa para a safra 2016 é superar esta marca. “Estamos com uma meta inicial de 1,8 mil toneladas, já que a largada foi tão promissora. Só no Sul do estado, por exemplo, tivemos 1 tonelada de tainha pescada”, disse o presidente.
Conforme a federação, o pico da safra costuma ser sempre ao final de maio. Na manhã desta segunda-feira (2), pescadores da Barra da Lagoa em Florianópolis informaram a RBS TV de que haviam coletado 2,6 toneladas do peixe.

Ainda de acordo com a federação, nas 5,6 toneladas pescadas até a manhã desta segunda (2), estão somados os valores de Garopaba e Imbituba, no Sul do estado, Campeche, Barra da Lagoa, Ingleses e Lagoinha, em Florianópolis.

 

 

Leão-marinho toma banho de sol no Itaguaçu, em Florianópolis

19199841

O bicho permaneceu no alto de uma pedra tomando banho de sol, e o telespectador da RBSTV Aroldo Cardoso registrou a presença. Segundo a Polícia Ambiental, é comum o aparecimento da espécie nesta época do ano com as águas mais frias. Eles saem de suas colônias no Uruguai e Argentina para se alimentar acompanhando as correntes marítimas, e por estarem cansados, podem ficar em nossas praias por até uma semana.

Acompanhamento

Uma equipe do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) esteve no local e fez o monitoramento do animal. A instituição está fazendo uma campanha intitulada “Deixe o Leão descansar”, que indica que é preciso manter a distância destes animais, afastar cães e outros animais para evitar a transmissão de zoonoses e nunca tentar alimentá-los ou colocá-los na água, pois normalmente estão exaustos, apenas querendo descanso.

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobrás de produção e escoamento de petróleo e gás natural no pólo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. O objetivo do projeto é avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e mortos.

Com percurso de 140km, Volta à Ilha chega a 21ª edição neste sábado, em Florianópolis

Volta a Ilha 2016Florianópolis recebe neste sábado (16) a 21ª edição do Revezamento Volta à Ilha. Serão cerca de 4 mil competidores na prova, considerada a maior do tipo na América Latina, com percurso total de 140 km. De acordo com a Polícia Militar, não estão previstas alterações no trânsito. Motoristas, porém, devem redobrar a atenção, pois os atletas passarão por trechos movimentados, como a SC-401 e a Via Expressa Sul.

Os primeiros corredores iniciam o percurso ainda na madrugada. A largada segue em frente ao Trapiche da avenida Beira-Mar Norte. Antigamente uma troca era feita logo no início do percurso, no Bairro do João Paulo, mas a partir deste ano os corredores seguem até a Decathlon, na SC-401, para a primeira troca, eliminando também o antigo posto do Office Park.
O 4º Batalhão de Polícia Militar informou que não haverá nenhum fechamento de trânsito. A organização do evento também confirmou que não haverá bloqueios e enfatizou que 90% da prova é realizada em praias e trilhas. Porém, em alguns trechos, como na SC-401, os atletas devem ocupar o acostamento.
Confira abaixo o percurso da prova e os níveis de dificuldade

1 – Largada – Avenida Beira-Mar Norte – 10,1km – Fácil
2 – Rodovia SC-401 (Decathlon) – 9,8km – Difícil
3 – Santo Antônio de Lisboa (Praça) – 8,0km – Moderado
4 – Praia da Daniela – 5,1km – Moderado
5 – Jurerê Antigo (fim da praia) – 5,3km – Moderado
6 – Cachoeira do Bom Jesus (Rua Otácilio Costa Neto) – 10,4km – Muito, muito difícil
7 – Praia Brava (Rua Ari Kardec B. Melo) – 5,2km – Difícil
8 – Praia dos Ingleses (praia, final da R. Dante de Patta) – 4,7km – Fácil
9 – Praia do Santinho (Posto Guarda-Vidas) – 8,4km – Muito difícil
10 – Praia do Moçambique – 5,7km – Muito difícil
11 – Barra da Lagoa (cidade da Barra) – 8,1km – Muito difícil
12 – Praia da Joaquina (Posto Guarda-Vidas) – 7,7km – Muito difícil
13 – Praia do Campeche (Posto Guarda-Vidas) – 4,9km – Muito difícil
14 – Praia da Armação (perto da Lagoa do Peri) – 9,3km – Difícil
15 – Praia dos Açores (Morro do Sertão) – 16,7km – O mais difícil
16 – Tapera (Fazenda da Ressacada) – 15,2km – Difícil
17 – Via Expressa Sul (Terminal de Ônibus Saco dos Limões) – 6,2km – Fácil
Chegada – Avenida Beira-Mar Norte

Abertura da segunda edição do Circuito Moçambique Surf 2016 acontece neste sábado, em Florianópolis (SC).

 Abertura da segunda edição do Circuito Moçambique Surf 2016 acontece neste sábado, em Florianópolis (SC). Foto: Rafael Boca.


Abertura da segunda edição do Circuito Moçambique Surf 2016 acontece neste sábado, em Florianópolis (SC). Foto: Rafael Boca.

A primeira etapa do 2º Circuito Moçambique Surf 2016 terá início neste sábado (9/4), na praia do Moçambique, em Florianópolis (SC).

Já na primeira etapa, serão distribuídos R$ 15 mil em prêmios e quatro pranchas Tractor Surf Boards nas categorias Open, Interna, Master e Junior.

Na categoria Expression Session, o atleta que fizer a manobra mais alucinante leva uma prancha zerada da Lost, prêmio oferecido pela loja virtual Black’s Boardhouse.

Para o campeão da categoria Open do circuito, pelo segundo ano consecutivo estará em disputa uma passagem internacional para o Peru patrocinada pela agência de viagens Boll Turismo. Em 2015, o grande campeão do circuito foi o surfista de Florianópolis Ronaldo Silveira.

O prazo das inscrições se encerra no dia 6 de abril. O custo é de R$ 50 por categoria e as vagas são limitadas.

Locais de Inscrição

– Kanoas Bar (Rodovia João Gualberto Soares – 6680 – bairro Rio Vermelho – Floripa), das 12 às 15h.

– Lotéricas e Agências da Caixa Econômica Federal.

Dados da conta para depósito: agência 3392, código 013, conta poupança 3236–3, em nome de Rafael Castro Teixeira.

O comprovante de depósito deve ser enviado para o email surfnareal@hotmail.com. Para obter mais informações, entre em contato com Rafael Boca pelo telefone (48) 9965-2901 ou com Rodrigo Franzoni pelo telefone (48) 9646-4789.

*Colaborou Equipe Shoreline Surf Skate

Bandeira Azul será hasteada esta semana na Lagoa do Peri

Critérios como educação ambiental, segurança e equipamentos, qualidade da água e gestão ambiental, foram alguns dos quesitos exigidos pelo programa

O selo é concedido às praias e marinas que cumprem os critérios divididos em: educação ambiental, segurança e equipamentos, qualidade da água e gestão ambiental.

O Parque da Lagoa do Peri receberá nesta quinta-feira, 10, a certificação “Bandeira Azul”. O selo é concedido às praias e marinas que cumprem os critérios divididos em: educação ambiental, segurança e equipamentos, qualidade da água e gestão ambiental

O Programa Bandeira Azul teve inicio em 1987 na Europa, já no Brasil foi instituto em 2004, e tem como objetivo elevar o grau de conscientização dos tomadores de decisões para as necessidades de proteger o meio ambiente e incentivar a realizações de ações que conduzam á resolução de conflitos existentes.

Para poder concorrer a esta certificação o município desenvolveu alguns processos de reestruturação no parque como a acessibilidade e atividades voltadas para a educação ambiental. Todas as avaliações necessárias foram julgadas por júris nacionais e internacionais em países como a Dinamarca e Brasil.